Quando vamos ao supermercado e lemos rótulos de embalagens, nos deparamos com frases como "contém leite","contém ovos" ou "pode conter traços de leite", "pode conter traços de soja". Mas o que isso significa?

Eu estava assistindo uns stories no Instagram de uma vegana que acompanho, a Renata Meirelles do @aprendendoaservegana, e ela tocou no assunto do "contém e pode conter" e o que realmente significava isso.

Fonte: Breathe Heavy
Em junho de 2015 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a ANVISA, aprovou uma resolução sobre 17 principais alimentos que causam alergias, e com isso todas as embalagens de alimentos devem ter uma advertência destacada logo após a lista de ingredientes do produto.
Os ingredientes alergênicos são: Trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas; crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas, além de látex natural.

Quando na embalagem do produto está escrito "contém ovos", por exemplo, isso quer dizer que aquele produto foi produzido com ovos, ou seja, um dos ingredientes utilizados na receita daquele produto foram ovos.

Já quando está escrito na embalagem "pode conter traços de leite" ou "pode conter leite", por exemplo, significa que houve ou pode ter havido uma contaminação cruzada entre produtos, ou seja, o produto não foi produzido com aquele alimento alergênico.
"A contaminação cruzada é aquela que resulta do transporte de microrganismos de um alimento para outro, não contaminado. A contaminação cruzada pode ocorrer através dos equipamentos e utensílios, usados durante a manipulação dos alimentos, mas também, através dos manipuladores (mãos e vestuário de protecção)." Fonte: Inesting.org

Então, posso ou não posso comer produtos que possam conter traços desses ingredientes?
Se você tiver alergias severas, o ideal é que você não consuma esses alimentos.
Se você for intolerante, converse com seu médico ou nutricionista. No meu caso, que sou intolerante à lactose, não tenho nenhum problema quando consumo alimentos com traços de leite, mas prefiro sempre evitar.
Se você for vegano, depende do seu ponto de vista, acho que essa questão é algo muito pessoal. O "pode conter" pode significar que aquela empresa também produza alimentos não-veganos, como pode significar que aquele produto foi armazenado de forma inadequada junto com um produto não-vegano.

Na minha opinião, eu acho que não existe muito problema em comer produtos que possam traços de ingredientes derivados de animais. O ideal seria não comer, e evitar tudo na medida do possível, mas quando não tem como evitar, não acho que você vai deixar de ser vegano e lutar pela sua causa por causa disso.

Fontes: Vista-se, ABIQ, Lactose Não, Neoprospecta.

Tata.



A vida é tão frágil.
A gente vai vivendo como se tudo fosse durar para sempre, mas tudo o que nós conhecemos pode ir embora, de repente.

Muitas vezes só nos damos conta da fragilidade da vida quando alguém que amamos vai embora.
E é nesse instante que você percebe que daria tudo o que você conquistou até agora só para ter mais alguns momentos com ela. É aí que vemos o verdadeiro valor de cada coisa.

E quando perdemos alguém, não tem como voltar atrás.
Não tem como perdoar.
Não tem como dizer "eu te amo".

Nos arrependemos de todas as vezes que deixamos de visitar um amigo por preguiça, ou até porque não queríamos gastar dinheiro. Das vezes que deixamos de encontrar nossos pais porque chegamos do trabalho ou da faculdade cansados demais. Das vezes que inventamos uma desculpa para não sair, e falamos "deixa para próxima vez", sem saber se essa próxima vez chegará.

Focamos tanto nos nossos estudos, trabalho, vida profissional, que esquecemos do essencial. Esquecemos que o importante mesmo são os momentos que ficam guardados dentro de nós, são as memórias que cultivamos, é cada minuto que passamos juntos daquela pessoa especial.

E se amanhã você não estiver mais aqui?
Será que você perdoou aqueles que te magoaram?
Será que você demonstrou o amor que tinha pelas pessoas ao seu redor?
Será que você passou tempo necessário com seus amigos e seus familiares?

E se alguém que você ama não estiver mais aqui?
Se seu pai, sua mãe, seu irmão, seu amigo, seu namorado, não acordar amanhã de manhã?
Como foi o último momento que você passou com essa pessoa?
Será que você desperdiçou as últimas horas que poderia ter tido com ela?
Será que você vai se arrepender?

A frase mais clichê de todas, porém a mais verdadeira, viva o hoje como se não houvesse amanhã.
Porque pode ser que o amanhã nunca chegue.

Tata.



O post de hoje é apenas para exaltar a beleza dos seios pequenos!
Eu sempre tive os seios bem pequenos e por muito tempo isso me incomodou. Sempre achei estranho não ter os seios grandes, e me achava menos feminina por isso. Mas depois com essas campanhas de empoderamento, comecei a me sentir mais bonita e aceitar meu corpo do jeito que ele é.

Ver mulheres maravilhosas, as quais eu admirava, com seios pequenos também me ajudou muito a ver que não é necessário seguir um padrão para ser bonita.
Já ouvi muita mulher dos seios pequenos querendo colocar prótese de silicone para se sentir mais mulher, e também já ouvi mulheres de seios grandes querendo reduzir os seios por achá-los enormes demais.


Parece que nós nunca nos sentimos bonitas o suficiente, mas a verdade é que somos lindas sim, e não é a sociedade que tem que nos definir.
Sabe o que é bonito mesmo? A diversidade de curvas que temos nesse mundo lindo! Seios pequenos, médios e grandes, cada um é especial do seu jeitinho.

Keira Knightley
Fonte: Zimbio
Gal Gadot
Fonte: Gotceleb
Emma Watson
Fonte: Pinterest
Natalie Portman
Fonte: RTE
Taylor Swift
Fonte :Purepeople
Lupita Nyong'o 
Fonte: Popsugar

Tata.




Primeiramente, eu vim aqui em busca de ouvir opiniões e abrir uma discussão saudável sobre esse assunto bastante delicado que é o teste de laboratório em animais.

Fonte: http://lunabell12.tumblr.com/
Sabemos que animais são usados como cobaias para diversos testes de laboratório, tanto de teste de medicamentos, quanto de testes de cosméticos, produtos de limpeza, etc.
Animais como camundongos, coelhos, porquinhos-da-índia, cachorros, e outros, são alguns dos utilizados pelos cientistas para que tais testes sejam feitos. Os animais são criados em viveiros e são sacrificadas após os estudos serem realizados.

Existem dois principais lados com opiniões distintas sobre esses testes.
O primeiro lado é o dos defensores dos animais que acham esses testes desnecessários e cruéis, e que poderiam existir outras formas de testes sem o uso de animais.
O segundo é o dos cientistas, que afirmam que os avanços da medicina seriam prejudicados caso não houvesse o uso dos animais nesses testes.

Alguns importantes avanços médico-científicos foram feitos sem a experimentação em animais, como a descoberta do Raio X, isolamento do vírus da AIDS, desenvolvimento de vacinas como febre amarela, entre muitas outras descobertas incríveis.

Outro ponto é que muitas faculdades na Europa não utilizam mais os animais como objeto de estudo, nem mesmo em matérias práticas. Nos EUA, 70% das faculdades de medicina, incluindo Havard, Stanford e Yale, não utilizam animais vivos em suas aulas, e acham desnecessários os laboratórios com animais vivos para treinamento médico. 

Eu, como não sou conhecedora da área médica, não sei se posso falar muito a respeito desse assunto com propriedade, porém posso dar minha opinião. 
No meu ponto de vista, testes em animais para a produção de cosméticos e produtos de limpeza são absurdos, pois esses produtos não são de necessidade do ser humano, e sim apenas para alimentar o ego e a vaidade
E, como existem produtos feitos a partir da não utilização desses métodos cruéis, por que deixar liberado os testes em animais para tais fins? A Lola Cosmetics, por exemplo, é uma marca de produtos de cabelo maravilhosa, com produtos de ótima qualidade, mas não utilizam ingredientes derivados de animais nem os testes são feitos em animais. Outras marcas como Vult, Niely e Granado também são livres desses testes.
Marcas de produto de limpeza como Ypê, Assolan, Atol, Tixan, entre outras, também não fazem testes em animais, e são facilmente encontradas em supermercados comuns a preços acessíveis.

Em relação aos testes de medicamentos, não sei ainda o que pensar, porém creio que há sim maneiras de avançar com a medicina sem a utilização de animais para isso. 
Então, de maneira geral, eu sou contra os testes de laboratório em animais.

E você? O que pensa sobre isso?

FontesPEA, Mundo Estranho.

Tata.


Fonte: VOYO
A algum tempo eu e minha irmã assistimos o filme Sr. Ninguém (Mr. Nobody, em inglês), lançado em 2009, dos gêneros drama, fantasia e ficção científica.
O filme conta a história de Nemo (Jared Leto), um homem de 118 anos, que é o último mortal vivo. Ele conta sua história de vida para um repórter da maneira o qual ele se lembra. Nemo divide sua vida em três partes importantes, todas elas baseadas em suas escolhas.

Pensando sobre o filme, minha irmã escreveu um pouco sobre sua reflexão sobre ele, e aqui estou eu trazendo essa reflexão para vocês. Se você ainda não assistiu esse filme, vá correndo assistir, talvez você não entenda logo a mensagem, fique confuso, ou tenha que ler algumas resenhas sobre ele, mas a mensagem que ele passa nos faz pensar bastante sobre nossas vidas e escolhas.

"Esse filme fala sobre o tempo e o seu efeito em nossas vidas. É muito estranho saber que o meu eu de hoje não vai existir daqui a um mês, ou a um ano,  na verdade a cada milésimo deixamos de existir e começamos a existir. Às vezes eu penso sobre isso, será que eu sou a mesma que eu era a dois anos? Não estou falando em relação a características ou personalidade, mas em relação a existência do meu corpo em um espaço de tempo. Gostei numa parte do filme que Mr. Nobody fala que toda escolha é a escolha certa, talvez não para uma vida feliz,  mas para algo ou alguém, daí você pode retirar a reflexão da existência de Deus, de destino e etc.

Durante o filme, tive uma série de sensações e pensamentos diferentes e únicos. O filme fala sobre uma característica do tempo, o tempo é unidirecional, ou seja, você não pode voltar atrás, com isso você não pode pensar no passado se perguntando 'e se?', porque a resposta nunca irá existir, já que o tempo passou e colocou um ponto final nas possíveis decisões.

Já pensei na minha existência em um universo paralelo, como é mostrado no filme. Por exemplo, a cada escolha vários 'eus' coexistem, mas cada eu segue com uma vida independente e paralela, com isso eu só sou parte do meu eu em uma das minhas possíveis escolhas. É complicado de absorver a ideia, mas faz sentido. Esse filme traz um grande leque de reflexões sobre o tempo, as escolhas e a vida."


Tata.


Seguindo a onda do tema anterior do "Tá falando sério?", trouxe para vocês um tema o qual não faz parte do meu dia a dia, Cachos. Creio que essa nova onda de assumir os cachos ~ cabelo crespo, cabelo cacheado ~ tem muito a ver com autoaceitação.

Fonte: Tumblr
Já ouvi muitos falarem que quem tem cabelo cacheado não sofre preconceito, que essa nova moda é besteira, ou que esse movimento não tem nada a ver. Como também já ouvi gente falando que cabelo cacheado é sujo, que ele é daquela forma porque não é lavado, e coisas desse tipo.

Meu cabelo é liso natural. E, por isso que eu disse que esse assunto não faz parte do meu cotidiano. Nunca tive um cabelo realmente cacheado.
Mas eu sei, meninos e meninas, o que sofrer por causa do cabelo. Como assim?
Teve uma época da minha vida em que meu cabelo era bastante volumoso, não tinha definição, tinha a fibra grossa, embaraçava com tudo e era péssimo de cuidar. Eu passei anos da minha vida com os cabelos presos. Chorava quando minha mãe tentava desembaraçar meu cabelo. Não sabia o que era andar por aí de cabelo solto, até em casa ele vivia amarrado. Então eu sei bem como é ser refém do próprio cabelo.
Meu cabelo era super parecido com o da Hermione Granger! (Sem exageros)
Fonte: Metropolitana FM
Eu comecei a entende que ele era assim porque deveria ser assim, e que tinha duas coisas que eu poderia fazer, 1) ou eu aceitava ele do jeito que ele era e me libertava, mesmo ouvindo comentários desnecessários e maldosos, ou 2) eu faria algo pra mudar ele, colocava alguma química, não sei, mudava.
Resolvi aceitá-lo. E, com o tempo e cuidado, ele tomou forma, pesou, e ficou liso. Não entendi muito o que aconteceu para ele ficar liso, mas era pra ser assim, e foi.

Não deveria haver muito o que achar desse assunto. Um cabelo é um cabelo. Nós não deveríamos ser julgados ou sofrer bullying por causa da forma do nosso cabelo. Sendo ele liso, cacheado, ondulado, curto, comprido, ou sei lá, que importa é você se sentir bem com ele.
Quer alisar? Alisa.
Quer manter natural? Mantem.
Quer fazer a transição? Faz.
Na sua vida, sobre o seu cabelo, o seu desejo deve ser uma ordem!

O melhor desse movimento cacheado é mostrar que o cabelo não te define, mas você que define seu cabelo (entendeu o trocadilho? Desculpa, haha, não resisti). Mostrar às pessoas ao seu redor que cabelo cacheado não é sinônimo de sujeira, não é descuidado, não é motivo para piadas, e nem é "feio". O melhor de tudo é que hoje em dia está bem mais fácil de cuidar dos seus cachinhos, a variedade de produtos que estão surgindo para as cacheadas não é brincadeira!!
E, real, deixa eu falar uma opinião minha, eu acho cabelo cacheado a coisa mais linda desse mundo!

E você? Qual seu tipo de cabelo? Ele é do jeitinho que você se sente bem?

Tata.


No sábado passado, 24 de março, fui ao teatro assistir um espetáculo, Cinderella, O Musical da Brodway. O musical conta a famosa história que nós já conhecemos, Cinderela, a gata borralheira que se transforma em princesa por uma noite através da magia de sua fada madrinha e encontra seu grande amor, o príncipe, graças ao sapatinho de crista perdido.

Em 1957, o clássico conto de fadas ganhou uma versão musical para a TV escrita pela famosa dupla do teatro musical Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II, e chegou oficialmente à Broadway em 2013.

O roteiro foi modernizado e adaptado por Douglas Carter Beane, com pitadas de comédia romântica e elementos dos contos de fada. Recebeu nove indicações ao Tony Awards, que é considerado o maior prêmio do teatro musical.

Em 2016 o espetáculo chegou ao Brasil, e atualmente está em turnê nacional.
Você pode até pensar algo do tipo "ah, mas eu já conheço essa história". Sim, é verdade, eu mesma já assisti várias versões do conto, porém esse musical tem algo muito encantador. As músicas, os atores, o cenário, tudo foi montado de forma com que se tornasse ainda mais especial! E ainda possui algumas cenas que vocês nunca viram no clássico, algumas cenas inovadoras, não vou falar pois não quero estragar a surpresa, mas posso dizer que foi revolucionário.

Se o espetáculo passar pela sua cidade, vá!
Não importa se você é criança, jovem, adulto ou idoso, tenho certeza que você irá se divertir e se encantar!
Ah, e você pode saber mais sobre o musical nas redes sociais, como no Facebook e no Instagram.

Tata.