Como hoje é Halloween, também conhecido como Dia das Bruxas, resolvi fazer uma postagem sobre o meu primeiro e único Halloween nos EUA.
O Halloween é comemorado no dia 31 de Outubro, véspera da festa cristã do Dia de Todos os Santos. Ele é celebrado em diversos países, e é caracterizado por suas tradições, como o costume de ir de porta em porta pedindo doces, e se fantasiar de personagens assustadores, ou não.

Sempre gostei dessa festa, desde quando eu era criança. Lembro que meu pai fazia uma festinha de Halloween no final de outubro e eu chamava meus amigos para ir lá em casa. Fazíamos doces e vários pratos, todos decorados com o tema. Meus amigos iam fantasiados ou vestidos de preto, e no final da noite assistíamos um "filme de terror" (na verdade era meio suspense, e as vezes nem tanto, mas como criança se assusta com tudo, a gente acabava gostando). Era bem divertido, eu adorava. Mas como o tempo, a gente acabou esquecendo dessa tradição.
Então, como não sou mais criança, infelizmente, não fui de porta em porta falando "doçuras ou travessuras", mas não poderia ficar de fora de uma das festas mais tradicionais nos Estados Unidos. É engraçado como todo mundo fica animado procurando fantasia, e se planejam meses antes. Os jovens não tão jovens assim, tipo eu, geralmente vão para festas em clubes ou para casa de alguém, fantasiados, é claro. Então, eu e meus amigos escolhemos umas festas para ir, e acabamos indo para vários lugares, durante todo o final de semana do Halloween. Mas como uma pessoa lisa que sou, só tive uma fantasia.O mais legal é que nessas festas, apesar de serem baladas normais como todas as outras, eles fazem concurso de fantasia, e dão prêmios para a fantasia mais legal. No final, a menina mais bonita ou popular sempre acaba ganhando hahaha, já que não há uma comissão, e quem decide são as pessoas bêbadas que estão na festa.Adorei ter passado um Halloween nos EUA, e espero que esse não tenha sido o último.
Tata.


Hoje vim falar do meu parque nacional preferido, o Yosemite National Park (Parque Nacional de Yosemite). Vamos falar um pouquinho sobre ele. O Yosemite é um parque nacional norte-americano localizado nas montanhas da Serra Nevada, no estado da Califórnia.

[caption id="attachment_221" align="alignnone" width="620"]Vale do Yosemite Vale do Yosemite[/caption]

O parque tem uma área de 3 081 km², e recebe cerca de três milhões de visitantes por ano, em sua maioria com o principal objetivo de ver o vale de Yosemite, mas no parque existem muitas outras atrações, já que esse parque é reconhecido internacionalmente pelos seus magníficos desfiladeiros de granito, cascatas, arroios claros, bosques de sequoias gigantes e grande biodiversidade, que são alguns dos motivos que levaram a esse parque se tornar Patrimônio Mundial em 1984.

DCIM102GOPROGOPR3209.

Mais de 20% das sete mil espécies  de plantas existentes na Califórnia concentra-se no Yosemite. O parque conta também com registros documentais da presença de mais de 160 plantas raras, com solos únicos e formações geológicas também elas raras, que caracterizam as áreas restritas que estas plantas ocupam.

DCIM102GOPROG1313302.

Okay, confesso que peguei o texto do Wikipédia e adaptei, mas eu queria deixar vocês um pouquinho informados sobre essa maravilha de lugar, já deu pra perceber o quanto esse parque é especial né?! Passei um dia inteiro lá quando fui no inverno com minha irmã, depois voltei no mês de maio e vi muitas coisas diferentes, o parque é enorme e tem muita beleza natural pra ser apreciada.

DCIM102GOPROGOPR2970.

Todas essas fotos foram tiradas na minha primeira ida ao Yosemite. Farei outro post no futuro mostrando algumas das fotos que tirei na segunda vez que fui. Só para vocês verem que esse parque é um lugar lindo e cheio de coisas maravilhosas esperando para serem vistas <3

Tata.


56cb8c12-17d9-4154-b2ca-1abc60043839

Sempre quis fazer um intercâmbio, sempre sonhei em viajar e conhecer novas pessoas, novos ares. Pensava em treinar meu inglês, investir na minha carreira acadêmica, pensando sempre no meu futuro profissional. Mas quando finalmente decidi que a hora tinha chegado, nenhuma dessas razões foi a real motivação para me fazer tomar a decisão de ir embora naquele momento.

Eu decidi viajar porque eu queria fugir. Fugir? De que? De quem? Simplesmente fugir.
Fugir do que eu era, do que eu me tornei, da zona de conforto que me aprisionou por tanto tempo, fugir da monotonia na qual a minha vida se encontrava, do conhecido. Eu queria mudar, precisava de um tempo para mim mesma, algo que eu não conseguiria se permanecesse morando com meus pais, convivendo com os mesmos amigos, na mesma faculdade, com a mesma rotina de sempre.

Tomei coragem e fui. Fugi. E, posso dizer do fundo do meu coração, foi a melhor coisa que fiz na minha vida. Conhecer novos ares, novas pessoas, novas culturas... Não sabia, até aquele momento, que o belo poderia estar escondido no desconhecido. Ouvir outras opiniões, de pessoas que vivem em realidades diferentes da sua, te faz ver que o universo é muito maior do que seus olhos podem alcançar. Você percebe o quão pequeno você é, e o mundo de possibilidades que estão aí para ser descobertas.

Me descobri, me reinventei.

Voltei. 

Tive que voltar. Tenho uma faculdade para concluir, é sempre bom ter um plano B. Tive que matar a saudade de casa, do meu painho, da minha mainha, e da irmãzinha. Matar a vontade de comer comida brasileira, porque gente, não tem comida melhor que essa não. E a do meu Nordeste então? Nem se fala!

Mas não faz mal. Voltei principalmente para ter certeza de que ir foi a melhor escolha. Precisava saber que tem muita coisa lá fora esperando por mim. E que o mundo estará a minha espera, para quando eu decidir que está na hora de me aventurar novamente. E irei explorar novos caminhos, não sei quando, nem pra onde, muito menos com quem, só sei que irei.

Tata.


Passei apenas dois dias em San Francisco, infelizmente. San Francisco é uma cidade cheia de lugares para visitar e coisas para fazer, mas o tempo era curto e o dinheiro mais ainda haha. Então, por causa das circunstâncias, resolvemos ir apenas nos principais pontos turísticos da cidade.

Roteiro:


  • Pier 39

  • Lombard Street

  • Golden Gate Bridge

  • Fisherman’s Wharf


Pois é, faltou muita coisa legal, mas se tudo der certo, volto lá algum dia e completo o passeio.

20151226_145114

Gostaria de começar falando do principal cartão postal de San Francisco, a Golden Gate Bridge. Gente, que ponte maravilhosa. É muito lindo, o clima, os pássaros voando, as pessoas caminhando, correndo, andando de bicicleta, passeando com os cachorros... Tem um gramado lindo e extenso, ótimo pra passar o dia lendo um livro, ouvindo música ou apenas relaxando.

O Pier 39 também é uma das principais atrações turísticas de San Francisco e é muito legal, tem várias lojinhas e restaurantes, e dá pra ver leões marinhos que vivem lá nesse pier, são muitos deles!

DCIM102GOPROGOPR2516.

O Fisherman's Wharf é um lugar com galerias, restaurante, museus e lojinhas, é interessante mas não me chamou tanta atenção assim. Fora que tem gente que reclama do cheiro forte de peixe que tem por lá hahaha.

E finalmente, a Lombard Street, que é uma rua bem inclinada e cheia de curvas. Lá de cima da pra ver uma parte da cidade, e a vista é maravilhosa. Se você estiver de carro, vale a pena descer por ela só pra sentir a sensação. Acho que quem joga GTA V também vai lembrar dessa rua, já que é um dos lugares que aparece no jogo. Não tenho foto boa lá por motivos de "não soube tirar foto, estava escurecendo e ficou tudo manchada".

DCIM102GOPROGOPR2469.

Como eu falei, faltou muita coisa, mas como sempre tentamos aproveitar o melhor de cada momento que passamos lá.

Tata.


O pier de Santa Monica é um dos meus lugares preferidos na Califórnia, e é por esse motivo que resolvi fazer uma postagem só para ele.
As principais atrações desse pier são o Pacific Park, que é um pequeno parque de diversões, com roda-gigante, uma pequena montanha-russa, e outros tipos de brinquedos; um carrossel histórico que foi construído nos anos 20, uma escola de trapézio, e várias lojas e restaurantes. O pier também é considerado uma atração turística por ser o ponto final da Rota 66, que atravessa os Estados Unidos, partindo de Chicago.O que eu achei mais legal foi a atmosfera de lá, umas pessoas tocando violão, uma banda de rua, e outras atrações, que ao invés de deixar o ambiente barulhento e poluído, fizeram com que eu me sentisse feliz, com vontade de passar o dia todo na beira do cais, sentada, olhando para o mar, o céu, e as gaivotas voando livremente.Ah, e o que várias pessoas me falaram, esse é um dos locais que aparece no jogo GTA V. E, realmente, fui procurar no nosso amigo Google, e encontrei várias imagens do jogo nesse lugar, o que me fez ficar mais entusiasmada e encantada com o pier.Já ouviu falar desse pier? Conheceu? Tem vontade? Conta pra gente :)

Tata.


Como fiz na postagem sobre o Sequoia, vou deixar algumas informações sobre o Lake Tahoe (ou Lago Tahoe, o que preferirem), pois Tata também é cultura.

O Lake Tahoe é o maior lago alpino (lago ou reservatório de água situado em altitudes elevadas) da América do Norte, e fica localizado na fronteira entre os estados da Califórnia e Nevada. Este lago é uma das principais atrações turísticas dos estados onde se situa, nele se encontram várias estações de esqui, e é um ótimo lugar para recreação ao ar livre durante o verão. Para mais informações consulte nosso amigo Google.Gente, esse lado é a coisa mais linda do mundo. Durante o inverno, apesar de muito gelado, a parte principal do lago não congela, então fica tudo bonitinho cercado de neve, e o lago com água no estado líquido.Nós fomos de carro, e como passamos só o dia para conhecer, não esquiamos ou aproveitamos nada nesse sentido. Fomos parando em cantos para explorar o redor do lago, nos emburacamos em algumas árvores, e tiramos algumas fotos. Claro que se você procurar em outros blogs e sites de turismo, você vai encontrar muitas dicas e coisas para fazer por lá, mas esse blog é um blog de uma pessoa lisa, então a gente só fez andar e aproveitar as belezas da natureza. E, mesmo assim, me apaixonei por esse lugar. Então, se você for super liso, e só puder pagar a passagem de avião e uns lanchinhos pra não passar fome, ainda assim garanto que você não irá se arrepender, é tudo muito encantador.Como todo lugar belo por natureza, tenho muito pouco pra falar, e muito pra mostrar.
Tata.


Oi gente,
Hoje vim aqui falar de algo bem importante, a adoção. Mas não vou falar sobre adoção de crianças, vou falar sobre adoção de animais.
Como vocês sabem, eu ganhei uma cadelinha muito fofinha chamada Khaleesi a um mês atrás, e ela veio pra me trazer a felicidade que faltava. Eu sempre quis um cachorrinho, tive dois quando era criança, mas minha mãe se estressou porque ela tinha muito trabalho com eles e acabou doando meus cachorrinhos.  Aqui em casa nunca teve empregada doméstica, diarista, ou nada disso, então minha mãe faz todo o serviço da casa sozinha, e além disso ter que cuidar de cachorro, não dava mesmo pra ela, então eu entendi os motivos dela para querer doar meus totós. Porém, de uns tempos pra cá, meu desejo de ter um cachorrinho aumentou bastante, e como já tenho 22 anos, acho que já tenho responsabilidade suficiente para cuidar de um cachorro sem deixar todo o trabalho pra minha mãe fazer. Conversei com meus pais, e depois de muito insistir, eles concordaram com a ideia de eu trazer um cachorrinho pra casa. E foi assim que Khaleesi entrou pra família.


Mas como eu disse, eu pensei bastante antes de trazer um cachorro pra casa. Um cachorro não é um brinquedo, não deveria ser algo pra você se exibir por aí. Um cachorrinho é um companheiro fiel, um amigo, que sempre estará feliz em te ver, ele não se importa se você é rico ou pobre, ou de como você se parece, ele só quer o seu amor. Só que, um cachorrinho faz bagunça, dá mordidinhas, faz xixi e cocô, precisa comer e tomar banho. Então, se precisa pensar antes de pegar um amiguinho para cuidar. Ter tempo, responsabilidade e disposição.

Antes de ganhar minha fofinha, eu procurei muitos cachorrinhos para adotar. Mas, porque adotar? Gente, adoção é um ato de amor. Se você quer um cachorrinho pelos motivos certos, você não vai se importar se ele é de raça ou não. Existem tantos animais precisando de um lar, tantos amiguinhos querendo apenas uma casa onde eles tenham água, comida, um cantinho pra dormir, e muito amor. Não acho justo pagar tanto dinheiro em um cachorro se você pode adotar um que vai te amar da mesma forma. Claro que cada pessoa tem suas preferências, e eu não julgo ninguém em relação à isso. Existem pessoas que querem um cachorro silencioso, ou de pequeno porte, ou com pelo curto, ou com qualquer característica específica por motivos pessoais. Eu, por exemplo, não podia pegar um cachorro de porte grande por causa do condomínio no qual eu moro, e minha mãe não queria nenhum cachorro adulto porque ela tem um pouco de medo, então ela disse que deveria ser filhote. Mas se você não possui nenhuma restrição, porque não adotar? Eu prometo que você não irá se arrepender! <3
E você, tem algum animalzinho de estimação?
Ps.: Eu falei cachorrinho, mas pode ser qualquer animal. Falei cachorro por causa de Khaleesi.
Ps2.: Aproveito aqui pra dizer que meu amorzinho tem Instagram: @belakhaleesi
Tata.


Primeiramente, o que é uma Sequoia? É um gênero de árvores que possui várias espécies, mas a única que existe até hoje é a "Sequoia sempervirens" (sequoia-vermelha). Elas são enormes, largas, e são conhecidas por sua longevidade. Algumas delas são tão grossas que pode-se cavar um túnel através delas, para a passagem de carros, por exemplo.

Então, o Sequoia National Park é um local onde você pode encontrar várias dessas árvores majestosas. Nesse parque existe a General Sherman Tree, que é a mais larga árvore existente no mundo.
Esse parque é lindo demais, parece ser bem chato quando a gente lê sobre ele, a não ser que você seja um ambientalista, mas se você for alguém comum, não parece ser muito interessante ir num local para ver árvores grossas. Só que é muito mais que isso, o parque é maravilhoso e acho que vale muito a pena ir passar algumas horinhas andando por lá.
Não tenho muito o que falar sobre lá, só fotos mesmo haha.
Tata.


Hoje fazem dois meses desde que eu deixei as terras do Tio Sam e vim para o Brasil.
E por esse motivo, preciso desabafar.

Quando você vive algo que você sempre sonhou, cada minuto parece eterno, e ao mesmo tempo parece que passa num piscar de olhos. Ou pelo menos era assim que eu me sentia.
Vivi cada dia como se fosse o primeiro, uma experiência nova, e também como se fosse o último, aproveitando cada segundo sabendo que em qualquer momento tudo aquilo acabaria. Fiz amigos que me acompanharam em aventuras e estiveram ao meu lado nos momentos de saudade, pessoas que entraram na minha vida e eu espero que permaneçam nela para sempre.

Me apaixonei por lugares que não imaginava que existiam, ou que algum dia iria poder visitar. Cresci e me conheci. Me encontrei e finalmente descobri o que eu quero ser, e o que sou. Percebi as escolhas erradas que fiz, mas que algumas delas me levaram para onde eu deveria estar, e no final, elas não estavam tão erradas assim. Como dizem, Deus escreve certo por linhas tortas. E por mais tortas que essas linhas possam ser, elas me ajudaram a encontrar o caminho pelo qual sempre desejei seguir, só ainda não sabia.

Encontrei um amor. Amei como nunca amei ninguém. Chorei quando pensava que teria de partir. Ele me entendeu, entendeu que eu teria que ir embora, mas me prometeu seu amor. Disse que mesmo distantes, eu seria dele, e ele seria meu. "I'll be yours and you'll be mine". E, apesar da dor, isso acalmou meu coração. Chorei quando parti. Mas eu sabia, e ainda sei, que mesmo se não der certo, a gente tentou, e não acabou por falta de amor.

A saudade dói, dói muito. Sentimento que veio pra ficar e nunca mais ir embora. Mas a vida segue, e a gente não pode parar. Quero um dia poder voltar, voltar para onde me senti completa, realizada e feliz. Voltar para os braços de um amor que tive de deixar, inevitavelmente. Voltar a viver um sonho, sem medo de que ele possa acabar, sem prazo de validade.

Ê, saudade. Ê, vida.

Tata.


Fiz uma viagem pela Califórnia durante o inverno de 2015, e a primeira parada foi San Diego.
Como uma pessoa azarada que sou, minha estadia lá não foi muito boa. O problema foi o tempo, estava tudo nublado e choveu muito nos dois dias que passei lá. Então não vimos tanta coisa quanto deveríamos. Ah, e para completar, nos perdemos enquanto tentávamos encontrar o Balboa Park. Já dá pra ter uma ideia de como foi a viagem né?

Roteiro:
  • Embarcadero Marina Park
  • Gaslamp Quarter
  • Balboa Park
  • Old Town San Diego
Foi basicamente só isso que fizemos. Não valia a pena ir para as prais com aquele tempo, e não tínhamos carro, tudo era muito longe. A gente passou a maior parte do tempo andando sem rumo. Outro pequeno detalhe, um pato me atacou numa pracinha perto do Embarcadero, ótima experiência.
Gostei muito do Old Town San Diego, acho que foi o que mais me agradou na minha estadia lá. As lojinhas são lindas, é tudo um amor. O Balboa Park é muito legal também, mas como a gente demorou para achá-lo, não pudemos aproveitar muita coisa, então nem conheci os museus, são 16 museus e todos pagam para entrar, mas tem uns passes que você pode comprar e no final nem sai tão caro assim, só não fui por questão de tempo mesmo.
Não fui no Zoo San Diego nem no SeaWorld San Diego por motivos de não gostar das práticas deles em relação aos animais. Não gosto de zoológicos em geral, tenho meus motivos, acho que os animais não são bem tratados. Mas falarei sobre minha opinião em relação a esse assunto em uma outra postagem.
Minha sorte é que tive a oportunidade de voltar lá, e visitar algumas praias, mas essa parte da história fica pra outro dia.
E você? Já conheceu San Diego? Tem vontade? Espero que sua viagem seja melhor do que a minha foi haha.
Tata.


Fui no Grand Canyon duas vezes. Na primeira vez que fui estava nevando, e eu, como uma viajante inexperiente, fui totalmente despreparada. Fui de tênis, vestindo uma calça jeans, uma blusinha de manga comprida e um casaco normal. Resultado: fiquei morrendo de frio e sempre que tinha oportunidade, entrava em algum lugar pra me esquentar.Viajei para o Grand Canyon, para a parte do South Rim, com uma empresa de turismo de lá, pois como só estávamos eu, minha irmã e um amigo, e nenhum de nós tínhamos carteira de motorista, resolvemos pagar um pacote e ir. Saímos de Las Vegas às 7h da manhã, e fomos em direção ao Grand Canyon de ônibus, paramos no meio do caminho para almoçar (estava incluso no pacote), chegamos lá e paramos em alguns pontos do Grand Canyon, passamos em média 4h lá e depois voltamos para Las Vegas. A viagem de ida e volta durou em média 5h cada. Ou seja, é bem cansativo, e você passa a maior parte do tempo dentro do ônibus. O preço do pacote foi 82 dólares já com as taxas incluídas.Eu acho que se você tem condições de alugar um carro e se hospedar em alguma cidade mais próxima, vale muito mais a pena. Foi o que a gente fez na segunda vez. Mas farei outra postagem mais futuramente falando com detalhes da segunda vez que fui.Apesar dos contratempos, valeu muito a pena, foi tudo muito lindo, e acho que poucas pessoas conhecem a beleza do Grand Canyon na época do inverno, quando está tudo branquinho, lindo demais. Quero muito ter a oportunidade de ir uma terceira vez lá, mas dessa vez no verão!
Tata.