Continuando a postagem anterior, vou falar o que eu fiz em Foz do Iguaçu nos dois últimos dias da viagem. Vou logo adiantando que os dois últimos dias foram bem menos intensos que os dois primeiros dias. Mas foram igualmente incríveis.

DIA 3
No terceiro dia, levantamos logo cedo e fomos em direção à Itaipu Binacional.
A Itaipu Binacional é uma usina hidrelétrica pertencente ao Brasil e ao Paraguai, a qual possui o título de maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia limpa e renovável.

Lá existem vários passeios, como o Circuito Especial, Visita Panorâmica, Polo Astronômico, Kattamaram, Iluminação da Barragem, e Refúgio Biológico. Eu só fiz a Visita Panorâmica.

Posso dizer que foi uma mistura de sentimentos. É tudo muito incrível, toda a engenharia da usina, a gente consegue vê o quão inteligente e capaz é o ser humano. Mas ao mesmo tempo a gente pensa nos impactos ambientais que foram causados por causa da construção daquela usina. Claro, precisamos de energia e, infelizmente, nenhuma fonte de energia é completamente limpa, todas elas trazem impactos, e algumas são caras demais que se tornam inviáveis. Hoje existe uma política ambiental na Itaipu Binacional. Eles tentam preservar a fauna e a flora, lança ações de reflorestamento e promove o desenvolvimento sustentável.
Porém existem medidas para correr atrás dos prejuízos ambientais causados pela instalação de hidrelétricas, e evitar a instalação de novas hidrelétricas.
"[...] os ambientalistas defendem a bandeira da redução do consumo. Pelas contas do educador ambiental Sérgio Dialetachi, coordenador da campanha de energia do Greenpeace, daria para economizar 40% da energia produzida no país com três medidas. Primeiro, instalando turbinas mais eficientes nas usinas antigas. Segundo, modernizando as linhas de transmissão e combatendo o roubo de energia. Terceiro, retornando ao comportamento da época do racionamento, em 2001, com equipamentos e hábitos menos gastadores. Tudo isso evitaria que novas hidrelétricas precisassem ser construídas, protegendo um pouco mais nosso planeta." Fonte: Mundo Estranho

Horários: Domingo a quinta, das 8:00 às 16:30; sexta e sábado, das 8:00 às 20:00.
Entrada da Visita Panorâmica: R$ 38 por pessoa (R$ 19 para crianças, idosos brasileiros, estudantes brasileiros, professores que trabalham no Brasil, jovens do CadÚnico, doadores regulares de sangue, pessoas com deficiência).
Mais tarde fomos à Ciudad del Este, no Paraguai, e a noite ao Duty Free da Argentina.
Uma parte bastante esperada por vários, as compras!
Eu não tenho muito o que falar aqui, não fomos preparados para comprar nada. Então não tenho nenhuma dica valiosa para dar.
Porém, digo que vale a pena pesquisar o que você quer comprar antes de ir, algumas coisas tem ótimos preços, mas outras não valem tão a pena assim, principalmente por causa do preço do dólar, que é a moeda que eles usam nas lojas para definir os preços das mercadorias (mesmo você podendo pagar em reais).
Então, se você tem o objetivo de comprar bastante, reserve o dia inteiro para passar na Ciudad del Este, e várias horas para passar no Duty Free da Argentina.

DIA 4
O quarto dia foi um dia bem tranquilo, fomos apenas ao Parque das Aves.
Eu tinha uma prova depois do feriado, então queria relaxar o suficiente para não voltar cansada e acabar não me dando bem na prova, por isso optamos em não fazer nada além.
"O Parque das Aves é um centro internacionalmente reconhecido de recuperação e conservação de aves, localizado em meio à rica e exuberante Mata Atlântica, vizinho ao Parque Nacional do Iguaçu. É um passeio essencial para quem visita Foz do Iguaçu, onde você vivenciará um contato direto com mais de 1400 aves, abrangendo cerca de 150 espécies diferentes." Fonte: Parque das Aves
Gostaria de deixar bem claro que o Parque das Aves não é um zoológico. É um centro de monitoramento e conservação das espécies de aves. Eles reproduzem espécies ameaçadas de extinção, tanto que já obtiveram sucesso na reprodução de 20 espécies ameaçadas.
O parque é uma instituição privada que não recebe recursos externos, então sua atuação em conservação é financiada com os recursos gerados pelos 800 mil visitantes por ano. Apesar de muitos ativistas acharem absurdo o uso de animais para a obtenção de recursos financeiros de qualquer forma, acho válido quando esse recurso é voltado diretamente para o bem estar dos animais, tendo em vista que eles cuidam dos animais da melhor forma possível e não há nenhum tipo de abuso no local.
Acho que essa foi minha parte preferida da viagem, juntamente com o Templo Budista.

Horários: Todos os dias, das 8:30 às 17:00.
Entrada da Visita Panorâmica: R$45  por pessoa (R$ 22 para idosos e estudantes brasileiros). Crianças até 8 anos tem direito a entrada gratuita.

Faltaram algumas coisas para tornar a viagem completa, porém quem sabe numa próxima oportunidade. Ainda tenho vontade de conhecer as Cataratas do lado argentino, e voltar no lado brasileiro para conhecer com mais profundidade.
E vocês, já foram em Foz do Iguaçu? Do que gostaram?

Tata.


4 Comentários

  1. Ai que viagem delicia, conhecer lugares novos é sensacional. Adorei sua resenha sobre Foz!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Tudo bem? Foz do Iguaçu é realmente maravilhoso! Nosso país tem vários pontos turístico de tirar o fôlego! E Foz do Iguaçu é uma deles! Parabéns pelo post! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Caramba. Esse lugar é lindo demais. Morro dd vontade de ir um dia. Sentir a agua no corpo, molhando, nossa, deve ser uma sensaçao maravilhosa. Beijos

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post, super completo. Amo conhecer lugares diferentes, ia amar conhecer Foz do Iguaçu. Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir