Semana passada viajei para Minas Gerais para a formatura de uma amiga que fiz no intercâmbio.
Depois dessa viagem fiquei bem pensativa sobre o significado do que era amizade.
Mas antes de você continuar lendo, saiba que não há mágoa ou dor nas palavras que foram escritas, mas há gratidão.

Sempre fui uma criança muito tímida, então tinha poucos amigos.
Até a quinta série, o sexto ano de hoje, brincava com vários colegas, na época eram amigos, mas de momento. Criança brinca com qualquer um, mas poucos mantém a amizade até ficarem mais velhos.

Depois disso, até o final do ensino fundamental, meus amigos eram contados nos dedos, eu mantinha amizade com três pessoas simultaneamente, no máximo.
Quando mudei de escola, no ensino médio, perdi contato com meus poucos amigos do ensino fundamental. Como disse, era bem tímida e introvertida, não sabia como manter contato com eles.

No ensino médio na nova escola fiz alguns amigos, demorei um pouco, mas consegui. Era próxima de três pessoas, mas era amiga de várias outras. Todos essas amizades se dissiparam com o tempo. De vez em quando ainda mando para alguns deles uma mensagem aqui, outra ali, mas nada de mais.

Até aqui tudo bem, boa parte da culpa era minha, ou da minha timidez.

Entrei na faculdade, a maioria dos meus colegas eram homens, pouco mais de 80% da turma, bem comum em cursos de engenharia. Gostei daquilo, achei que dessa vez daria certo, mas eu não me identifiquei com o curso e desisti um ano depois. As amizades não se fortaleceram, apesar de eu ainda ter um carinho enorme por vários daqueles colegas, converso com eles até hoje quando os encontro, mas não é aquele tipo de amizade onde vocês conversam regularmente ou se encontram.

Na época da transição do ensino fundamental para o médio, até um tempo atrás, frequentei uma igreja e fiz amigos lá. Depois de mais ou menos 8 anos de convivência, embarquei no meu intercâmbio, a maioria das pessoas desse grupo se afastaram um pouco. Quando voltei, aquela indiferença e outros sentimentos ruins que alguns estavam cultivando por mim, sem motivo algum, começaram a me matar aos poucos por dentro, então eu me retirei daquele local. Muitos deles fizeram questão de não manter contato algum. 9 anos de uma amizade que eu achava que era verdadeira foram jogados no lixo.
Tá, alguns poucos ainda falam comigo quando me veem, alguns eram neutros e continuam neutros. Não falo de todos, mas a maioria, principalmente daqueles que se diziam próximos, conversavam bastante e saíam de vez em quando comigo.

Desenvolvi depressão e ansiedade por vários motivos, mas a saída da igreja e a exclusão que sofri por parte das pessoas que eu achava que eram minhas amigas foram um ponto muito forte para me fazer cair. Comecei a achar que o problema era meu, eu não era boa o suficiente para manter uma amizade.

No intercâmbio fiz alguns amigos. Foi o melhor ano da minha vida. Mas, como quase tudo que é bom dura pouco, o intercâmbio acabou e cada um voltou ao seu lugar de origem. Achei que, como todas as amizades que tive até então, essa amizade também iria embora com o vento. Porém, hoje, depois de dois anos após o final do intercâmbio, pude sentir o que era uma amizade de verdade. Uma amizade que não depende da convivência ou das circunstâncias. Hoje posso dizer que tenho amigos que posso contar para o resto da vida, que vão estar juntinho de mim, no meu coração, mesmo que fisicamente distantes. Amizade que não acabou por causa da distância ou de pequenas desavenças, onde não existe falsidade, inveja ou qualquer outro sentimento ruim.

Amo de paixão essas pessoas que permaneceram na minha vida.
Então esse post é para agradecer cada um de vocês por estarem comigo até hoje.

P.s.1: Para não ser injusta, tenho que dizer que ainda tenho uma amiga que era da igreja, e uma amiga do ensino fundamental que sempre que dá conversa comigo.

P.s.2: Ainda estou fazendo alguns amigos, entendendo algumas amizades. As conclusões que tirei foram de relações que se desenvolveram em ambientes nos quais eu não convivo mais. Não incluí nenhuma das pessoas da igreja que frequento atualmente ou da faculdade que estou cursando, ou as pessoas que conheci em menos de um ano. Sempre espero para ver até onde a amizade vai dar.

P.s.3: Pode ser que eu esteja me expondo demais, pode ser que eu levante polêmica com essa postagem, mas as vezes eu tenho que me abrir para me sentir melhor.

Tata.


5 Comentários

  1. Amizade verdadeira dura para sempre. Tenho amigos de 20 anos da escola que com essa era da internet todos nos reencontramos. Esta sendo sensacional. bjs

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo e verdadeiro! <3 É muito bom sentirmos gratidão. E que bom que você tem pessoas especiais com você.
    Eu confesso que ultimamente me afastei de muitas pessoas, pois quando ficamos mais velhas, começamos a enxergar quem realmente vai estar do seu lado em qualquer situação. Mas posso dizer que meus amigos são pouquíssimos - mas bons.

    Parabéns pelo post e blog! <3

    ResponderExcluir
  3. Bo dia, como vai? Eu gostei bastante do seu compartilhamento, realmente uma amizade verdadeira são para poucos, amizade mesmo que bate aquela saudade, amizade que mesmo com a distacia a amizade é a mesma

    ResponderExcluir
  4. Eu graças a Deus tenho laços de amizades verdadeiras eternas, hoje em dia cada uma tem suas vidas, totalmente diferente e corrida uma das outras, mas sempre algumas mesmo longe, nos encontramos para por os papos em dias, e nos falamos praticamente todos os dias, temos grupos de whatsap para unir todos, são amizades de 25 anos a mais, de infancia a escola.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tarsila! Tudo bem?
    Olha, muito bacana o seu relato. Eu acho que a amizade é muito além de saídas, conversas fora e coisas do tipo. Amizade para mim é apoio, união, é amor, sabe? E infelizmente existem pessoas que não entendem e que também acabam não dando o devido valor. Acredito que quando a amizade te faz bem (porque querendo ou não existem amizades tóxicas) é válido todo o esforço do mundo para que ela não acabe.
    Beijos
    www.cheiadeassunto.com

    ResponderExcluir